Mulher diz estar grávida para tentar evitar estupro e é violentada durante assalto no PI

Após a violência, a vítima foi encaminhada para o Serviço de Apoio à Mulher Vítima de Violência Sexual (Samvis). Três suspeitos foram identificados e a polícia tenta localizá-los.

A Polícia Civil do Piauí (PC-PI) investiga um caso de estupro no município de Madeiro, distante 244 km ao Norte de Teresina. De acordo com a polícia, o crime aconteceu no domingo (8), Dia Internacional da Mulher, durante um assalto e a vítima disse ao agressor que estava grávida para tentar evitar a violência sexual.

“Três criminosos foram até a residência, roubaram e um deles estuprou a vítima. Ela não está grávida, ela afirmou que estava, mas os exames laboratoriais confirmaram que ela não estava, mas de fato ela foi estuprada”, informou o delegado Renato Pinheiro, da Delegacia de Luzilândia.

Após o crime a vítima foi encaminhada para o Serviço de Apoio à Mulher Vítima de Violência Sexual (Samvis) em Teresina para os procedimentos cabíveis.

Segundo o delegado, os bandidos praticaram uma série de crimes na cidade. Antes de roubar a casa da mulher, eles invadiram a fazenda do prefeito da cidade, onde subtraíram armas dos caseiros e mataram um cachorro.

“Eles fizeram os caseiros de reféns durante um tempo, depois foram até outra residência onde, além de roubarem, lesionaram bastante um senhor e em seguida foram até a residência onde essa mulher mora”, afirmou Renato Pinheiro.

Em seguida, o trio fez um arrastão em um restaurante onde subtraiu celulares e pertences de clientes e funcionários.

O delegado Renato Pinheiro disse ao G1 que três suspeitos já foram identificados e há mandados de prisão em aberto contra eles. “Equipes estão em campo para tentar prendê-los”, declarou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui