Gripário de Santo Inácio começa a operar nesta sexta-feira

0
6

Os moradores do bairro de Santo Inácio, em Salvador, receberam uma nova estrutura de saúde na manhã desta sexta-feira (3). O terceiro gripário inaugurado pela prefeitura vai funcionar ao lado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro e tem 12 leitos. O espaço começa a operar ainda hoje, e o investimento foi de R$ 4 milhões.

Os gripários são estruturas criadas para atender pacientes com problemas respiratórios, gripes como H1N1 e pessoas com suspeita de covid-19. As outras duas unidades desse tipo entregues pelo município funcionam em frente as UPAs dos Barris, no Centro, e de Paripe, no Subúrbio Ferroviário. Outras três estruturas ainda serão entregues em Salvador. Juntos, os seis gripários vão oferecer 89 leitos.

O prefeito ACM Neto fez a inauguração do gripário e disse que agora Salvador tem seis gripários na cidade. “Com a entrega de hoje, estamos perfarzendo 3 gripários entregues em Salvador. O primeiro foi o dos Barris, segundo o de Paripe e agora o terceiro aqui na região de Pirajá”, elencou. “Esses gripários foram concebidos justamente para nós ampliarmos a nossa capacidade de assistência a todos os pacientes que têm algum tipo de síndrome gripal”, afirmou. “Sabemos que temos alguns tipos de gripes circulando, algumas muito sérias, como o H1N1 e é claro, principalmente o coronavírus”, completou.

Neto afirmou que Salvador chega a 424 leitos de pronto atendimento com a inauguração de hoje. “Isso representa dois hospitais de grande porte”, comparou. 

(Foto: Gil Santos/CORREIO)

Nas últimas semanas, a taxa de ocupação dos leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) tem alternado entre 80% e 84%, e na rede particular tem ficado entorno dos 75%. O secretário municipal de Saúde, Léo Prates, disse que os gripário são importantes porque ajudam a aumentar o número de leitos e oferecem atendimento específico aos pacientes com suspeita de covid-19 ou diagnosticados com a doença.

“O objetivo dos gripários é reforçar a estrutura das UPAs. Aqui são dez leitos de enfermaria e duas salas vermelhas com respiração mecânica, ou seja, com respiradores. Ela vai melhorar e dividir o atendimento, quem não tem síndrome respiratória será atendido a estrutura normal da UPA e quem tem síndrome respiratória vais ser atendido nessa nova estrutura que nós chamamos de gripário. Isso vai melhorar e aumentar a capacidade de atendimento das UPAs para um eventual aumento da curva de contágio em Salvador”, afirmou o secretário.

Atualmente, a faxa de contaminação em Salvador está em 4%. O número é maior que os 2% registrados na semana passada, mas a prefeitura acredita que a elevação tem relação com demanda represada, ou seja, casos que foram registrados nos últimos dias, mas que aconteceram há mais tempo.