Enfermeiras e doulas criam rede de apoio online e voluntária para gestantes

“Estou tendo sintomas como febre, preciso ir para uma consulta de pré-natal?”, pergunta, por mensagem, uma grávida de oito meses, com suspeita de infecção pelo coronavírus. A notificação vibra no celular de Ariane Teixeira, 31, que inicia os questionamentos. Ela e outras 16 enfermeiras obstétricas criaram uma rede de apoio, no dia 24 de março, para tirar dúvidas de gestantes em meio à pandemia da covid-19. Tudo é feito via um grupo online chamado Fale com a parteira, de plantão 24 horas por dia, para aplacar desesperos e evitar idas necessárias a clínicas ou hospitais.

As dúvidas são analisadas pela enfermeira plantonista. No caso da grávida com sintomas semelhantes aos da covid-19, a suspeita foi descartada. O grupo também recomenda, a depender do caso, que a gestante entre em contato com suas próprias médicas. A mensagem é enviada em grupo para as enfermeiras, mas respondida no privado. Na maioria das vezes, tudo é resolvido naquele ambiente entre 15 a 20 minutos. Se for preciso, ligações também são permitidas.

“A ideia é que a gente possa tirar as dúvidas dessas mulheres, que vivem um período já cheio de questões e agora [com o coronavírus] surgem ainda mais questionamentos, como quando ir para o hospital, se é para ir para o pré-natal”, explica Ariane. 

A iniciativa foi importada de Recife. Lá, a também enfermeira Tatiane Franklin, amiga de Ariane, criou o primeiro grupo de atendimento voluntário e virtual para tirar dúvidas relacionadas principalmente ao parto em meio a uma pandemia. No primeiro dia de atendimento em Salvador, o celulares da enfermeiras não parava de vibrar. Às 14h, o grupo foi criado. Cinco minutos depois, a primeira gestante apareceu. Para ter acesso ao link do grupo, basta acessar o @falecomaparteira, no Instagram.

As principais dúvidas são referentes ao coronavírus e o momento certo de ir para maternidade – “devo ir para a maternidade ou esperar a bolsa romper?”, perguntou outra grávida. As enfermeiras, antes de realizarem o atendimento online às grávidas, já organizavam rodas de conversas para orientar as gestantes, mas foi necessário migrar para o online.

Existe a possibilidade, ainda, de buscar ajuda particular com doulas, que dão assistência às mães antes, durante e no pós-parto. Durante a pandemia, tem sido frequente o atendimento online. A Mama Assessoria em Amamentação e Assistência Materno Infantil tem atendido as grávidas de forma remota e reservou vagas de atendimento social sem custo. Também está planejada, para a próxima semana, o retorno da roda de conversa gratuita sobre amamentação, a Comamas.

Para ter acesso aos serviços, acesse ao @doulasdabahia, no Instagram, e tire suas dúvidas. “Precisamos manter esse contato para dar continuidade a nossa atuação e dar suporte física e emocional às mulheres e seus bebês num momento como esse”, diz Tarsila Leão, presidente da Associação de Doulas da Bahia.

FALE COM A PARTEIRA
O que é:
Fale com a parteira;
Quando: 24 horas, diariamente;
Acesso: @falecomaparteira (Instagram).

REDE DE DOULAS
O que é:
Rede de apoio de doulas;
Quando: depende do serviço;
Acesso: @doulasdabahia (Instagram).

O CORREIO compartilha boas ideias e atitudes de pessoas e empresas dispostas a fazer a diferença para, juntos, superar a tormenta da pandemia de coronavírus. Tem uma boa história? Compartilhe com a gente