Justiça concede prisão domiciliar para Ronaldinho Gaúcho e Assis

Ronaldinho e Assis foram presos ao entrar no Paraguai com passaportes falsos

A Justiça do Paraguai concedeu nesta terça-feira (7) a prisão domiciliar ao ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e ao seu irmão, Assis Moreira. Os dois estão presos em um presídio de Assunção após entrarem no país com documentos paraguaios falsos. 

De acordo com a decisão do juiz Gustavo Amarilla, Ronaldinho e Assis vão cumprir prisão docimiciliar em um hotel no centro de Assunção. Os dois também terão que pagar fiança de 800 mil dólares cada, o que corresponde a aproximadamente R$ 4,2 milhões. Segundo o jornal ABC Color, os dois vão ficar em quartos diferentes. 

Ronaldinho Gaúcho e Assis estão presos desde seis de março, quando entraram no Paraguai com passaportes paraguaios falsos. Outras três pessoas também foram presas. Duas paraguaias, acusadas de ceder os números de identificação do documento, e o empresário brasileiro Wilmondes Sousa, que teria fornecido os passaportes aos irmãos.

Após o caso vir à tona, uma crise se instalou no órgão de migração do Paraguai. Um funcionário do local foi acusado de apresentar os documentos para a naturalização de Ronaldinho e Assis. O diretor geral da Direção de Migrações, Alexis Penayo, chegou a pedir demissão do cargo. 

Nos últimos dias, Ronaldinho Gaúcho vinha mantendo uma vida integrada aos outros presos. Vídeos e fotos do ex-jogador em um torneio de futebol e praticando futvôlei viralizaram nas redes sociais. No último dia 21, o ex-jogador de Grêmio, PSG, Barcelona, Milan, Flamengo e Atlético-MG completou 40 anos.