LeBron James e outras estrelas do esporte farão campanha pelo voto afro-americano


Associação ‘Mais do que um voto’ incentivará os afro-americanos a se registrarem como eleitores e a votar nas eleições presidenciais de 3 de novembro. Nesta foto de arquivo, o astro do basquete LeBron James, lesionado, assiste jogo do seu time, o Los Angeles Lakers, contra Golden State Warriors, na Califórnia, nos EUA
Ezra Shaw / Getty Images / AFP
Em meio a uma onda de indignação contra o racismo, a estrela da NBA LeBron James e outros atletas e celebridades uniram forças em uma parceria para promover o voto dos negros americanos antes da eleição presidencial de novembro.
“Está na hora de finalmente fazermos a diferença”, afirmou o jogador do Los Angeles Lakers nesta quarta-feira (10) em entrevista ao jornal “The New York Times”.
Com o nome de “Mais do que um voto”, a associação incentivará os afro-americanos a se registrarem como eleitores e a votar nas eleições presidenciais de 3 de novembro.
Ao mesmo tempo, os membros da associação usarão suas redes sociais como plataforma para alertar sobre qualquer tentativa de interferir no direito de voto das minorias no país.
“Sim, queremos que você saia e vote, mas também daremos o tutorial. Vamos mostrar o contexto de como votar e o que eles estão tentando fazer, do outro lado, para impedir que você vote”, disse King James, que tem mais de 100 milhões de seguidores no Twitter, Facebook e Instagram.
A iniciativa surgiu após a morte de George Floyd, o afro-americano que foi sufocado por um policial branco durante uma abordagem violenta em Minneapolis em 25 de maio, crime que provocou protestos em todo o país contra o racismo, a desigualdade e a violência policial.
Financiada pessoalmente por LeBron, a associação incluirá outros atletas, como o jovem Trae Young, atual estrela do Atlanta Hawks, e o ex-jogador e atual comentarista de televisão Jalen Rose.
O jogador de futebol americano Alvin Kamara (New Orleans Saints) e celebridades como o comediante Kevin Hart, que participou da cerimônia em homenagem ao Floyd no início de junho, também participarão.
A organização colaborará com outros grupos civis que promovem a votação, como We All Vote e Fair Fight, detalhou o jornal americano.
Como muitos outros companheiros de equipe da NBA, James manifestou indignação com o crime do Floyd nas últimas semanas e resgatou a imagem do jogador de futebol americano Colin Kaepernick, banido da NFL desde 2016, na qual ele protesta contra o racismo ajoelhado na grama durante a execução do hino dos Estados Unidos antes do início de um jogo.
Nos últimos anos, James se envolveu em várias iniciativas políticas, como o apoio que deu à candidata democrata Hillary Clinton durante a campanha presidencial de 2016 contra Donald Trump.
Policial foi filmado com o joelho sobre o pescoço de George Floyd
AFP/Facebook / Darnella Frazier