O Itamaraty lavou as mãos para o caso do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho

Foi o ministro da Justiça, Sérgio Moro, quem tomou as dores e pediu informações – respeitando a legislação local, sem exigências.