Psicólogo dá cinco dicas para melhorar saúde mental e preservar relacionamentos durante pandemia


Segundo o psicólogo, fatores como a divisão de responsabilidades, exercício da confiança e respeito a individualidade pode ajudar preservar. Casais devem enfrentar a rotina durante o isolamento social
Burger/Phanie
O psicólogo e hipnólogo Rodrigo Lopes conversou com o G1 neste Dia dos Namorados e deu cinco dicas sobre como os casais podem enfrentar a rotina e passar pelo isolamento social sem provocar desgastes no relacionamento. De acordo com o psicólogo, o desgaste nos relacionamentos, em sua maioria, é ocasionado pela mudança brusca na rotina e pelo convívio que passou a ser em tempo integral.
Veja serviços afetados pelo coronavírus no Piauí
O que fazer e para onde ir em caso de aparecimento dos sintomas
Acompanhe a evolução da curva epidêmica no estado
“A maior queixa dos casais que me procuram está relacionada à convivência, por um estar o tempo todo com o outro, ou seja, a convivência em tempo integral que causa um grande desgaste nas relações e no dia a dia das pessoas”, alertou.
Melhorar a comunicação
Walmir e Helen aproveitam momentos de tranquilidade para caminhar e conversar
Marcos Serra Lima/ G1 Rio
Exercitar uma comunicação entre o casal pode ajudar a diminuir hábitos que incomodam um dos lados e podem persistir e serem ampliados durante o período de quarentena. A comunicação ajuda a ter um melhor entendimento e pode preservar o relacionamento.
Casais com filhos
Casais com filhos
Aldo Carneiro/Pernambuco Press
É importante manter a comunicação com a família como um todo e procurar momentos de lazer, onde cada um vai ser responsável pela execução de uma atividade. Não esquecer também da troca de carinho, de afeto e de amor para passar segurança para as crianças.
Exercitar a confiança
Isadora e Gabriel aproveitaram o pôr do sol para a foto clássica na praia
Marcos Serra Lima/ G1 Rio
Ter um relacionamento pautado na confiança e na sinceridade pode tornar a convivência mais agradável. Falar sobre os sentimentos e incômodos podem fazer com que os dois se ajudem a superar eventuais problemas emocionais que podem surgir durante a quarentena.
Estipular uma rotina
Ter momentos para cada um desenvolver atividades sozinho, não ficar cobrando todo momento a execução de uma determinada atividade e dividir as tarefas para que se evite tantas cobranças no dia a dia, pois esse é um dos principais fatores que pode levar ao desgaste.
Respeitar a realidade sexual
Com o confinamento as pessoas querem ter a todo momento atividade sexual, o que não é recomendado quando não se tem respeito ao espaço do outro e o desejo de cada um no seu momento específico. Nesse momento de isolamento, cada pessoa se comporta de uma maneira específica, podendo apresentar estresse e até ansiedade.
Decretos determinam distanciamento social
Para evitar a contaminação pelo vírus, o isolamento social e medidas emergenciais foram determinadas por meio de decretos do governo do estado e das prefeituras, como na capital piauiense, para que a população fique em casa e evite ao máximo ir às ruas. Aulas em escolas e universidades, a maioria das atividades comerciais, esportivas e de serviços em geral estão suspensas por tempo indeterminado.
Serviços essenciais como farmácias, postos de combustíveis e supermercados continuam mantidos mas estão regulamentados. O atendimento em clínicas, hospitais e laboratórios, assim como o funcionamento de escritórios de advocacia e contábeis também foram liberados mediante cumprimento de regras.
O uso de máscaras em locais públicos tornou-se obrigatório em todo o estado. Policiais fazem abordagens nas fronteiras do estado a ônibus e veículos particulares. Os decretos preveem que quem descumprir as regras pode ser penalizado com multa ou até prisão.
Prevenção, contágio e sintomas
Lavar as mãos de forma correta (veja vídeo), uso de álcool em gel, sempre usar máscaras, evitar contato pessoal e aglomerações de pessoas são algumas das orientações para evitar o contágio da doença.
Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia da covid-19
É importante também ficar atento quanto aos principais sintomas (tosse seca, congestão nasal, dores no corpo, diarreia, inflamação na garganta e, nos casos mais graves, febre acima de 37° C e dificuldade para respirar). Um guia ilustrado preparado pelo G1 ajuda a tirar dúvidas.