Suspeito de matar servidor da Semcaspi é ex-militar da Marinha do Brasil; defesa nega

De acordo com o delegado Francisco Costa, o Barêtta, o militar e a vítima costumavam se encontrar em bares da região do bairro Matinha, como aconteceu no domingo.

Um ex-militar da Marinha do Brasil está sendo procurado pela Polícia Civil do Piauí suspeito de ser o autor do disparo que matou o servidor da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Luciano da Silva Oliveira, de 41 anos, na tarde de domingo (16), em um bar da Zona Norte de Teresina.

De acordo com o delegado Francisco Costa, o Barêtta, o militar e a vítima costumavam se encontrar em bares da região do bairro Matinha, como aconteceu no domingo. O crime teria acontecido na presença de várias pessoas, entre elas parentes da vítima e do militar. Momentos antes, a esposa do suspeito estava no local.

“A vítima já estava no bar quando o suposto autor chegou, com a esposa e o cunhado. Eles sentaram juntos e beberam. Em um dado momento, a esposa do autor saiu. Depois, ele levantou para pagar a conta. Quando voltou, efetuou esse disparo na vítima”, contou o delegado.

Homem é assassinado com tiro em bar da Zona Norte de Teresina — Foto: Simplício Júnior/ TV Clube
Homem é assassinado com tiro em bar da Zona Norte de Teresina — Foto: Simplício Júnior/ TV Clube

De acordo com a Perícia Criminal, o tiro foi disparado por uma pistola 9 mm, que foi abandonada próximo ao corpo da vítima. A bala atingiu as costas de Luciano e saiu pelo peito esquerdo. O servidor faleceu ainda no local.

A equipe do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) continua colhendo evidências e depoimentos de testemunhas para concluir o inquérito e pedir que a Justiça autorize a prisão do suspeito.

Suspeito pode se apresentar à polícia

Homem é assassinado com tiro em bar da Zona Norte de Teresina — Foto: Simplício Júnior/ TV Clube
Homem é assassinado com tiro em bar da Zona Norte de Teresina — Foto: Simplício Júnior/ TV Clube

O advogado do ex-militar da Marinha apontado como suspeito pelo homicídio, José Cardoso Júnior, nega que seu cliente seja autor do crime. Segundo o advogado, o militar deve se apresentar em breve à polícia. “É uma questão de tempo”, disse.

À TV Clube, o advogado disse que busca ainda saber o que foi apurado pela Polícia Civil para entender como aconteceu a morte do servidor da Semcaspi. “Pelo menos três versões já apareceram, e não sei precisar de fato o que aconteceu. Até porque não tive contato com meu cliente”, disse José Cardoso Júnior.